Employee Experience: guia completo para implementar na empresa

Diante das diversas transformações no mercado de trabalho, torna-se cada vez mais necessário fornecer um clima organizacional favorável e assegurar que os colaboradores estejam engajados.

Afinal, eles são o principal diferencial competitivo do negócio. Logo, retê-los, mantê-los engajados e produtivos são as melhores estratégias para superar a concorrência.

Por isso, para as empresas que buscam aumentar a produtividade de seus colaboradores e promover um ótimo ambiente de trabalho, a Employee Experience (EX) se tornou uma prática relevante no universo corporativo.

Trata-se de um tipo de ferramenta para medir o desempenho e a satisfação das equipes, bem como os resultados do negócio.

E, com o atual cenário de crise, os colaboradores foram impactados diretamente, o que demanda uma atenção especial por parte das lideranças e do setor de RH, por meio de estratégias como o EX.

Pensando nisso, desenvolvemos um conteúdo completo sobre Employee Experience, mostrando seu conceito, sua importância e como implementá-la dentro da empresa, destacando a relação com os benefícios corporativos. Quer saber mais? Continue a leitura e confira!

Conceito de Employee Experience

Sem dúvidas, a Employee Experience é, atualmente, um dos temas de maior evidência no mercado, em tempos de crise. Devido às diversas dúvidas e incertezas geradas pela pandemia da Covid-19, as organizações estão buscando novas estratégias para tentar manter os seus funcionários engajados. 

Em relação ao seu conceito, o termo Employee Experience pode ser traduzido em português como “Experiência do Colaborador”. Consiste na percepção geral que o seu funcionário apresenta sobre a relação com a empresa, levando em consideração os fatores de contato que ele tem ou teve ao longo da sua jornada como colaborador.

De modo mais simples, pode-se dizer que se trata de um conjunto de práticas e interações que acontecem durante a trajetória do colaborador na empresa. Seu principal objetivo é criar um ambiente de trabalho agradável, motivador e capaz de contribuir para o crescimento pessoal e profissional de cada integrante da equipe.

Isso porque, de modo geral, uma empresa bem-sucedida tem como base as pessoas que trabalham nela, bem como o quanto elas se sentem motivadas e engajadas com o propósito da empresa.

Nesse sentido, a experiência do colaborador passa a acontecer desde o momento em que ele se interessa pela seleção e recrutamento de talentos, até o momento em que ele finaliza o vínculo empregatício com a organização — que envolve todas as suas emoções e interações. Com base em um estudo da IBM, o melhor exemplo de experiência para o colaborador abrange cinco critérios.

  1. Pertencimento: sentir-se parte de uma equipe, grupo ou organização, com o nível de integração ideal e pertencimento à cultura da organização.
  2. Objetivo: é compreender por que o trabalho é importante e o impacto da sua performance no negócio.
  3. Realização: é o sentimento de realização no trabalho, de dever cumprido, ao concluir as atividades, e ter um bom desempenho.
  4. Felicidade: é o nível de satisfação e prazer no trabalho, que consiste na interação emocional com a organização.
  5. Vigor: é a energia e a disposição do colaborador em oferecer o seu melhor pelos objetivos do negócio, além da resiliência, frente às dificuldades.

É importante ressaltar que o conceito de Employee Experience carrega uma série de semelhanças de outro termo bastante usado no ambiente corporativo, que é o de Customer Experience (CX). No entanto, a CX está voltada para a qualificação da experiência do consumidor, ao se relacionar com o produto ou serviço de uma empresa. Já a EX apresenta uma abordagem mais restrita, focada no público interno, ou seja, no seu capital humano.

Principais objetivos da Employee Experience

De modo geral, o foco da Employee Experience é melhorar todos os aspectos da vida cotidiana de um funcionário. E essa melhoria vai muito além de, simplesmente, oferecer benefícios aos funcionários, como sala confortável, academias, atividades relaxantes, entre outros.

Na realidade, é uma ação mais ampla e complexa, porque envolve todos os sentimentos e as opiniões do profissional em relação à empresa. A Employee Experience consiste em projetar e oferecer experiências diferenciadas para os colaboradores que estejam alinhados com a cultura desejada.

De acordo com o relatório Global Talent Trends 2020, publicado pelo LinkedIn, a Employee Experience pode ser considerada o novo Recursos Humanos (RH), já que se trata de um processo para expandir as atividades dos profissionais dessa área. Essa previsão ficou evidente com o crescimento de 240% no número de colaboradores que passaram a utilizar a expressão Employee Experience em seu cargo no LinkedIn.

No entanto, segundo a pesquisa, apenas 52% das empresas, atualmente, oferecem uma experiência do colaborador positiva. Diante disso, seu principal objetivo é aumentar o desempenho dos colaboradores e fazer com que eles tenham um bom ambiente de trabalho, preocupando-se com a sua jornada dentro da empresa, assim como garantindo a satisfação e a confiança.

A proposta da EX é que a empresa se torne uma referência para os próprios colaboradores — sobretudo, por meio da união de estratégias inovadoras do RH. Ao contrário de seguir ações pontuais de curto prazo, arquitetadas para ampliar o engajamento, essa ferramenta procura se concentrar na integração entre equipes, comportamentos, produtividade, retenção e, principalmente, no crescimento da empresa como um todo, com foco em desenvolver pessoas.

Alguns aspectos, como alta rotatividade, absenteísmo, problemas de saúde ou mesmo desentendimentos entre colaboradores interferem no clima organizacional da empresa, prejudicando significativamente os resultados gerais do negócio. Por isso, investir em estratégias de Employee Experience é a melhor opção para oferecer um ambiente de trabalho mais atrativo, inovador e prazeroso.

Importância para as empresas

Em cenários como o atual, a Employee Experience se torna extremamente importante e se apresenta de diferentes maneiras, visto que ela é a junção de todas as concepções, vivências e opiniões dos profissionais, em relação à empresa em que trabalham. 

Nesse contexto, diversos fatores da força de trabalho potencializaram a importância da EX. Em primeiro lugar, existe um tipo de guerra por talentos em muitas empresas, atualmente, haja vista a necessidade de habilidades altamente especializadas.

Por isso, fornecer uma experiência ao colaborador diferenciada pode dar à empresa uma vantagem competitiva ao atrair e envolver talentos, de maneira que os incentivem a permanecer em sua organização. O seu conceito pode, muitas vezes, ser considerado uma das bases para manter o bem-estar e a saúde dos colaboradores, principalmente, em virtude das incertezas da rotina, causando um quadro de falta de comprometimento e de ansiedade.

Além disso, a prática auxilia no onboarding de funcionários, que garante a continuidade da eficiência dos colaboradores. Pode-se dizer que, assim como os consumidores escolhem entre uma diversidade de marcas, baseados em avaliações que acessam no meio online, muitos profissionais usam tais recursos para conhecer seus empregadores em potencial, e optam por empresas que oferecem o tipo de experiência que procuram.

Tal mecanismo valoriza o capital humano, estreitando o relacionamento entre a gestão e os funcionários — isso porque ele garante o desenvolvimento de um ambiente interno mais acolhedor e transparente. Assim, os colaboradores passam a ser vistos como protagonistas nas ações e nas decisões da empresa.

Vantagens em aplicar a Employee Experience

Agora que você já sabe o significado de Employee Experience, listaremos, a seguir, as principais vantagens de investir nessa metodologia. Confira!

Aumento da produtividade

Sem dúvidas, quando os colaboradores se sentem engajados e satisfeitos com o ambiente de trabalho, eles, consequentemente, produzem mais e melhor, impactando diretamente os resultados do negócio. 

Nesse caso, quando a empresa valoriza o seu capital humano, o profissional se sente mais acolhido e acaba fortalecendo o sentimento de pertencimento, o que aumenta o envolvimento com as suas atividades laborais e com a marca para a qual trabalha. A partir disso, é possível atingir o potencial máximo da equipe.

Garantia de atração e retenção de talentos

Uma das principais causas para a criação de uma Employee Experience diferenciada é garantir a atração e retenção dos talentos. Afinal, devido à grande disputa do mercado por profissionais altamente qualificados, conseguir que um colaborador de alto nível permaneça no time é um grande desafio.

Atualmente, os profissionais de destaque buscam, não apenas salários atrativos e oportunidades de crescimento, mas também a satisfação de trabalhar em uma empresa com propósito, em um ambiente flexível e de cultura inspiradora. Com a experiência do funcionário, é possível atender a essa demanda, permitindo a retenção de talentos na companhia e colocando em prática o conceito de Employer Branding.

Maior engajamento

Manter o engajamento da equipe é um grande desafio para qualquer empresa, e a Employee Experience pode incentivar essa relação. Oferecendo uma experiência superior ao colaborador, a empresa passa a ganhar profissionais mais dedicados às funções e comprometidos com os resultados do negócio.

Além disso, é possível criar conexões poderosas entre os envolvidos, o que faz com que os profissionais produzam mais valor e se sintam estimulados a prestar um trabalho de qualidade para a empresa.

Melhoria do clima organizacional

O clima organizacional, certamente, define como será o ambiente de trabalho, além de aumentar ou reduzir a determinação e a energia dos colaboradores. Por esse motivo, é importante garantir uma experiência favorável à equipe, para impulsionar o grau de satisfação e transmitir a todos o entusiasmo e a motivação necessários para lidar com as atividades diárias.

Fortalecimento da reputação da empresa

Para atrair talentos e construir uma reputação sólida no mercado, a marca empregadora é determinante. Nesse sentido, oferecendo uma experiência do colaborador exclusiva, a empresa se promove como o lugar ideal para se trabalhar e ganha credibilidade como empregador.

Além disso, com a EX, é possível incentivar, constantemente, a satisfação dos profissionais que contribuem significativamente para o fortalecimento da imagem da organização.

Papel do RH

Primeiramente, é importante ressaltar que a Employee Experience é um elemento importante no processo de consultoria em gestão de pessoas, que tem como intuito acompanhar o modo como os funcionários se sentem em relação à empresa, e, consequentemente, o seu nível de satisfação diante dela.

Essa assistência apresenta um valor estratégico para a companhia, já que ela tende a produzir diferentes tipos de indicadores fundamentais para a empresa e para os colaboradores. Priorizar a experiência do colaborador é trabalhar com empatia e informações para construir vivências relevantes, que geram resultados positivos para todos os integrantes da empresa.

De certa forma, essa associação configura uma nova abordagem no setor de Recursos Humanos que, historicamente, não foi estimulado a tratar do profissional sob o viés da experiência, restringindo-se a indicadores tradicionais de gestão, como: nível de desempenho e de engajamento, produtividade, turnover, taxa de absenteísmo, entre outros.

Contudo, esses profissionais, agora, precisam conciliar as duas abordagens, já que uma não necessariamente exclui a outra. Pelo contrário, experiências positivas são responsáveis por melhorar os indicadores. Portanto, para que, na prática, essa experiência se torne possível, é necessário haver uma transformação de paradigma do RH nas empresas, de forma que ele esteja voltado para os resultados da organização.

Essa flexibilização é essencial, para que a experiência seja, de fato, pensada para os colaboradores. Dessa forma, eles sentirão, cada vez mais, que fazem parte da tomada de decisões na empresa. 

Dicas de implementação

Se você chegou até aqui, deve estar se perguntando: como eu posso criar a melhor Employee Experience na empresa? Neste tópico, daremos algumas dicas importantes que te ajudarão nesse aspecto. Como dito anteriormente, desde o momento em que o colaborador assina o contrato até quando ele deixa a organização, todas as percepções, opiniões e sentimentos devem ser levados em consideração.

Por isso, um fator extremamente importante, antes de implementar a Employee Experience em uma empresa, é conhecer bem os seus funcionários, de modo a compreender como eles avaliam a sua relação com a companhia, quais as suas reais necessidades e as expectativas que nutrem.

Em seguida, identificar interesses e aspectos motivacionais comuns entre os colaboradores, que possibilitem a segmentação dos profissionais em equipes, para que suas experiências sejam abordadas.

A partir disso, é possível avaliar as distinções entre os funcionários e realizar uma análise detalhada sobre as vantagens que cada colaborador oferece para a companhia, bem como os aspectos de trabalho que precisam ser melhorados. A seguir, confira alguns passos para a implementação da ferramenta.

Prepare os líderes

Tendo em vista que os líderes e os gestores são os grandes responsáveis por conceder essa nova experiência, difundir a prática entre os funcionários e incorporá-las à cultura da empresa, é importante que a liderança da empresa conheça como funciona a Employee Experience e as vantagens que ela oferece para aumentar o nível de satisfação e de engajamento da sua equipe, bem como se preparem e se profissionalizem sobre o assunto.

Ouça os colaboradores

Outro passo importante para construir a experiência do colaborador é escutar o público-alvo. Logo, a empresa precisa dar voz aos colaboradores, ouvir suas necessidades e aspirações, assim como permitir que participem ativamente do processo, priorizando suas opiniões. Para isso, ter uma comunicação aberta e metodologias que possibilitem a realização de pesquisas ou entrevistas com os funcionários é uma maneira de colocar isso em prática. 

Crie um programa específico

Depois de conhecer os colaboradores é hora de criar um programa de Employee Experience. Afinal, a experiência do colaborador não é uma atividade pontual, mas sim um planejamento de longo prazo, que se consolida com o crescimento da empresa. Por isso, é importante a criação de um programa específico.

Esse programa deve apresentar procedimentos para cada etapa, ações de incentivo e engajamento, estratégias de reconhecimento, entre outras medidas que possam potencializar a satisfação dos integrantes. Não se esqueça de levar em consideração as críticas, sugestões e opiniões apresentadas. 

Invista em feedback

Em qualquer processo de experiência, oferecer e solicitar feedbacks é essencial, já que é um mecanismo eficaz de comunicação que garante a assertividade do programa. Por isso, para construir uma boa experiência, você precisa implementar feedbacks contínuos, que respondam, de imediato, aos colaboradores e coletem suas opiniões e impressões. 

Disponha de tecnologias eficientes

A tecnologia se tornou uma grande aliada na realização das atividades desempenhadas pelos colaboradores, de maneira eficiente e inovadora. Muitas empresas ainda são resistentes em substituir processos burocráticos realizados a mão, como as planilhas, que podem ser trocadas por softwares que ajudam a otimizar o processo.

Nesse sentido, investir em ferramentas para auxiliar a execução das atividades se tornou imprescindível, pois, além de impactar na economia de recursos, também diminui a rotatividade e os afastamentos.

Avalie as ações realizadas

Por fim, após implementar as ações citadas, o ideal é avaliar a experiência dos colaboradores, com o intuito de comprovar se houve melhorias nos resultados, além de registrar novos dados e insights. Nesse contexto, recomenda-se realizar avaliações contínuas para manter o ciclo funcionando e poder construir experiências relevantes para os seus colaboradores. 

Cuidados indispensáveis

De modo geral, as ações de Employee Experience nunca serão as mesmas para todos os colaboradores, já que cada um deles é diferente, vivem momentos distintos e, portanto, apresentam necessidades e objetivos variados. Ou seja, os integrantes requerem diferentes demandas, e um bom líder deve ser capaz de identificá-las e agir, por meio de tais diretrizes. 

Por isso, é fundamental levar em conta o contexto que o colaborador está vivendo, com o objetivo de compreender quais resultados devem ser alcançados e quais experiências são importantes para atingi-los. 

A análise das percepções dos colaboradores acerca da experiência e o entendimento do que realmente importa, de acordo com o momento de cada um, são fatores essenciais para o processo de priorização. Todavia, para que as ações sejam eficientes e assertivas no seu negócio, é preciso tomar alguns cuidados necessários e determinar diretrizes importantes para o contexto da empresa. 

Relação com benefícios corporativos

É impossível falar de experiência do colaborador, sem associá-la a uma política de benefícios corporativos bem elaborada e atrativa. Afinal, ao oferecer vantagens, como planos de saúde e vale-alimentação, o empregado possui os recursos de que precisa para manter a qualidade de vida em dia, evitando causas para faltar, atrasar ou não realizar entregas de qualidade.

Diferentemente do que muitos ainda podem pensar, um salário alto e a concessão de benefícios não são garantias de atração, retenção de talentos e satisfação pessoal. É claro que ter uma boa remuneração para exercer suas atividades é excelente. Contudo, a experiência do colaborador envolve bem mais do que isso.

Nesse sentido, oferecer benefícios corporativos é uma causa motivadora e pode ser o diferencial entre a sua empresa e a concorrência. Abaixo, separamos algumas práticas positivas de Employee Experience realizadas por grandes empresas para te inspirar e reforçar os seus resultados. Conheça!

Google

A Google é reconhecida em todo o mundo, devido às suas boas práticas e programas de liderança que fornecem experiências exitosas aos seus colaboradores. Apresenta a capacidade de produzir iniciativas completamente assertivas na implantação de uma experiência positiva, por meio de metodologias científicas de captação e análise de feedbacks.

Apple

A empresa criada por Steve Jobs tem uma política que rompe com as medidas tradicionais — tratar todas as pessoas como altos executivos. O tratamento deve ser o mesmo, desde os vendedores até o CEO da empresa. Para a Apple, a satisfação no trabalho e o engajamento começam com o respeito. Essa conduta fortalece a moral dos integrantes da equipe, sendo um dos pilares que permitem entregar experiências positivas aos seus clientes.

Airbnb

Para o Airbnb, o trabalho com Employee Experience também devem ser prioridade. A empresa desenvolveu a Experiência do Colaborador com o intuito de criar uma jornada completa, pois cada aspecto importa na trajetória dos colaboradores. Além disso, a empresa é totalmente aberta a receber feedbacks, atuando fortemente seus valores e propósito com toda a equipe.

Por fim, é evidente que entender a necessidade dos colaboradores consiste em investir em reconhecimento, autonomia e boas ferramentas, que resultam em um impacto positivo, tanto para os clientes quanto para os gestores da empresa. Isso porque um funcionário mais motivado é um dos principais fatores para que a companhia alcance um crescimento sustentável.

Como dito anteriormente, uma boa implementação de Employee Experience se relaciona diretamente com a oferta de um líder inspirador, uma cultura de objetivos claros e um ambiente laboral que promova crescimento. Todos esses critérios geram um bom clima organizacional, atração de profissionais de alto desempenho e a retenção de talentos.

Gostou do nosso conteúdo? Então, aproveite para seguir a nossa página do Facebook. Assim, você fica por dentro das novidades, diariamente!

Inscreve-se para receber nossas novidades!

Receba conteúdos exclusivos gratuitamente no seu e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.