Lean Leadership

Lean Leadership: tudo o que você precisa saber sobre esse conceito

Você sabe o que é Lean Leadership e como esse conceito pode fazer a diferença na sua empresa? Algumas pessoas, quando pensam em liderança, imediatamente associam à imagem de uma pessoa solitária que assume todos os riscos para si e carrega consigo várias pessoas, que a seguem de forma incondicional. Liderança é algo pessoal também, mas, há tempos, deixou pra trás essa aura solitária que associam a ela.

Nesse contexto da busca por uma liderança mais colaborativa, na qual a figura do líder entra como parte da equipe, surgiu o modelo de liderança Lean. Os problemas e as decisões são tomadas em conjunto, e esse grau de comprometimento e responsabilidade leva uma organização à excelência.

A partir das características desse modelo e das tendências do mercado, elaboramos um guia completo com informações completas sobre Lean Leadership. Quer entender mais sobre o assunto e saber como os benefícios podem otimizar os processos da sua empresa? Continue com a gente!

1. O que é “Lean”?

Lean ou Pensamento Enxuto, como ficou conhecido no Brasil, é uma filosofia com foco em gestão de negócios. Tem uma linha de pensamento em que o objetivo principal é melhorar a produtividade de uma empresa. Refere-se a uma série de métodos, estratégias e aplicações práticas para evitar desperdícios, bem como reduzir custos e despesas. As soluções que o modelo propõe garantem maior produtividade, com qualidade superior.

Porém, as ações não são feitas de qualquer forma. As prioridades e os resultados são focados na satisfação do cliente. Ou seja, tudo é voltado para priorizar as atividades da cadeia produtiva que impactam de forma positiva a imagem da empresa junto ao seu público.

Para enxugar os processos, é fundamental adotar procedimentos mais simples e eficientes em todas as etapas, que vão desde a produção até o transporte. A proposta essencial do método é identificar as atividades ou etapas que são consideradas desperdício, ou seja, não agregam nada ao serviço ou produto final que chegará ao cliente. Após a identificação, elas são limitadas ou eliminadas totalmente, evitando-se assim desperdícios de tempo e de dinheiro.

Ao agir de maneira enxuta, a produção de uma empresa pode melhorar consideravelmente e gerar reflexos positivos em diversos mensuradores, por exemplo, os resultados financeiros. Isso sem precisar contratar mais funcionários ou aplicar jornadas de trabalho exaustivas, o que tende a prejudicar a saúde da equipe.

2. Como se deu a evolução do Lean?

O Lean nasceu no contexto da manufatura, mais precisamente no Japão, após a Segunda Guerra Mundial. Foi criada por Taiichi Ohno, engenheiro da Toyota, considerado um dos gurus da qualidade. Naquele momento, o país passava por um profundo processo de reconstrução dos danos da guerra. A população estava bastante abatida. Era preciso encontrar novas formas de garantir a eficiência da produção, que pudessem ajudar a alavancar a indústria do país.

O objetivo da metodologia era enfrentar os desperdícios da produção da empresa e melhorar os resultados corporativos. Com o tempo, os benefícios e vantagens do pensamento enxuto se provaram eficazes e verdadeiros. O Lean se expandiu de forma exitosa para diversos segmentos e ganhou adeptos por todo o mundo.

Um dos grandes fatores desse sucesso é o fato de os seus princípios serem universais, ou seja, diferentes modelos de negócios ou realidades podem aplicar a filosofia Lean em suas atividades. Ao realizar um benchmarking nas empresas que já adotam a metodologia, é possível observar como o mercado se comporta em relação ao pensamento enxuto.

Algumas áreas se adaptaram muito bem à filosofia. Vejamos a seguir alguns exemplos.

Lean Manufacturing

A manufatura foi a área na qual surgiu o conceito. O Lean dentro da linha de produção de uma fábrica entra para reduzir desperdícios e atrasos causados por erros na má gestão dos fluxos.

Lean Healthcare

Usado no ambiente hospitalar. É um grande aliado de médicos, gestores de hospitais e clínicas, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na área da saúde.

Lean Construction

Adaptação do Lean na construção civil. Corta os desperdícios e reduz os prazos, o que gera um impacto positivo no resultado final para o cliente.

Lean Government

Aplicação do conceito na administração pública, ou seja, nas estruturas do governo. É especialmente útil nesse segmento, pois integra os funcionários em todo o processo de melhoria, o que permite uma contribuição mais ativa.

Lean Higher Education

Metodologia Lean aplicada nas universidades. O pensamento Lean defende gestões horizontalizadas, o que permite maior autonomia a professores e funcionários para proporem mudanças. Busca-se melhorar o fluxo de trabalho e melhores tomar decisões.

Lean Integration

Aplicado aos dados e sistemas integrados. Conecta sistemas e cria canais de comunicação entre os setores de uma empresa. Tem relação direta com a automação, o que abre portas para processos simples e ágeis.

Lean Laboratory

Utilizado em laboratórios. Otimiza os fluxos e reduz os desperdícios. Resulta em economia, segurança e agilidade para entregar os resultados aos clientes.

Lean Product Development

Gestão de produtos Lean. É a aplicação do pensamento no processo de criação de um produto, onde se compreenda todo o seu fluxo, da oportunidade à produção. Reduz os desperdícios e aumenta o valor agregado.

Lean Services

Prestação de serviços. O objetivo da metodologia é criar valor para os clientes, o que se alinha perfeitamente com a operação de serviços. Auxilia no desenho de fluxos e de tarefas, com o mínimo de desperdício.

Software Lean

No desenvolvimento de programas, os recursos tendem a ser escassos, e é frequente acontecerem mudanças repentinas. O Lean nesse contexto entra como um ótimo aliado para melhorar os processos e garantir os prazos de entregas. Ou seja, o colaborador faz o melhor com as condições oferecidas.

Lean Startup

As modernas empresas com base tecnológica abraçaram o pensamento Lean. A ideia principal desse modelo é entregar valor para os clientes, de forma rápida e eficiente. O modelo enxuto aparece nos produtos, na correção de erros e nas mudanças a serem realizadas. Assim, entrega-se valor de forma ágil aos clientes.

Lean Leadership

Conceito do Lean na liderança. Baseia-se em pessoas, unindo-as ao pensamento enxuto e às ferramentas para otimizar a produção. Conta com a importância do processo de aprendizagem e ressalta a importância do envolvimento dos colaboradores junto aos líderes da equipe.

3. Quais os benefícios da metodologia Lean?

São muitos os benefícios que a metodologia trará à sua empresa. Com a produção enxuta, todos sabem onde começam e terminam as suas responsabilidades. Isso organiza o processo e evita gargalos por conta de ruídos na comunicação.

O benefício mais óbvio é o da eficiência. Com o sistema Lean funcionando, é claramente perceptível que muito mais pode ser feito com menos pessoas e recursos. Com excessos excluídos dos processos, eles se tornam mais simples e o fluxo de trabalho mais contínuo.

Por consequência, a forma de administrar o time torna-se mais assertiva. O gestor entra para checar se cada funcionário está oferecendo o melhor de si e se as tarefas são bem realizadas. Oferece treinamento e suporte sempre que necessário.

No início pode ser um desafio. Porém, passado o período de transição, a equipe naturalmente torna-se mais integrada e alinhada com os objetivos da empresa. O pensamento enxuto passa a fazer parte da cultura empresarial. As pessoas são incentivadas e conseguem enxergar a sua importância na organização e no processo produtivo.

O foco na metodologia é totalmente para o cliente. Enxergam-se de forma mais clara as suas necessidades e, a partir disso, os produtos são totalmente adaptados a elas. A flexibilização da produção aumenta a variedade de produtos, e o trabalho deixa de ser apenas por quantidade. Dessa forma, os clientes conseguem ter todos os requisitos de qualidade preenchidos pela companhia.

A prosperidade de um negócio é diretamente proporcional à fidelidade dos clientes e ao grau de satisfação. A metodologia proporciona qualidade aos produtos, prazos corretos e expectativa dos clientes superadas. Logo, qual a chance de dar errado se essa é uma das fórmulas do sucesso no mercado?

E por fim, mas não menos importante, ressaltamos os benefícios financeiros. Eles são bem significativos. O Lean consegue unir a satisfação do cliente, que permite a prosperidade do negócio e aumento dos lucros, com a redução dos excessos e cortes de elementos desnecessários. Esses fatores trazem aos cofres da empresa uma boa economia.

O dinheiro economizado pode ser aplicado e investido de outras formas, como na melhoria dos maquinários, treinamentos de equipe, educação corporativa, otimização das operações ou, até mesmo, em expansão. O Lean organiza a casa para abrir as portas rumo ao crescimento.

Powered by Rock Convert

O pensamento enxuto trabalha com alguns princípios que orientam as ações relacionadas à redução de desperdícios. É importante, para quem pretende implementar essa metodologia, saber quais são. Falamos muito nesses excessos que o sistema Lean evita e elimina, mas você os conhece? Confira.

Defeitos e retrabalhos

Caso ocorra erro ou falha em alguma grande entrega no que diz respeito a volume, é maior o número de ajustes a serem feitos. Produtos fora das especificações, sem uma correta orientação logo no início do processo, gastam muitos recursos para serem corrigidos. Envolve desperdício tanto de material quanto de tempo.

Transporte

A logística de transporte é um setor diretamente afetado pelo modelo Lean. O transporte inútil de itens é eliminado ao adotar a metodologia. Boas práticas na gestão deste setor eliminam muitos gastos desnecessários. Não faz sentido, por exemplo, armazenar um produto distante de onde será utilizado. Quanto mais longe, maior o gasto para chegar ao seu destino.

Inventário

Acumular itens representa prejuízo para a empresa. Ocupam espaço, há um gasto com matéria-prima para produção, além da possibilidade de estragar e ficarem defasados com o tempo. É preciso alinhar o ritmo de produção ou compra, pois entregas menores e mais objetivas evitam os problemas descritos. Excesso de produtos estocados pode não representar as necessidades dos clientes e, com isso, não agregam valor algum à empresa.

Tempo de espera

Processos parados, esperando a conclusão de alguma etapa para darem sequência, representa uma enorme perda de tempo e dinheiro. Seja para esperar algum fornecedor ou alguma etapa a ser finalizada, são desperdícios que o pensamento enxuto vai eliminar. O sistema melhora os processos, organiza um cronograma equilibrado e coordena as etapas.

Movimentação

Movimentações complicadas e desnecessárias de funcionários ou maquinário podem causar danos aos produtos, aumentar o tempo de produção e elevar os gastos. O Lean estabelece um modelo no qual é feito o mínimo possível de movimentos para finalizar as tarefas do trabalho.

Produção excessiva

Desperdício é algo que nem o consumidor nem a empresa estão dispostos a pagar. Assim, é fácil reconhecer que a produção excessiva é um problema. Tudo que é feito acima da demanda aumenta os custos, além de exigir transporte adicional, movimentações, espera, desgaste, entre outros. E, caso surja algum defeito, significa que seus funcionários precisarão trabalhar mais para corrigi-lo.

Processos excessivos

Esse tipo de desperdício também não agrega valor nenhum à demanda. Elas podem ser desde a inserção de recursos extras ou inclusão de algum elemento que ninguém usará e não fará diferença no produto final. Gera um custo extra que aumenta o preço final e, geralmente, os consumidores não pagam porque não enxergam vantagem alguma.

Talentos não utilizados

É um desperdício muito importante, descoberto recentemente. Desperdiçar talento significa não utilizar as ideias nem dar ouvidos às pessoas que trabalham com o processo direta e diariamente. Escutar esses funcionários gera resultados positivos tanto para o processo quanto para a pessoa que foi ouvida. Afinal, quando alguém tem uma ideia e não é ouvido, dificilmente compartilhará as próximas com a equipe. Este é, inclusive, um dos fatores importantes para uma boa gestão de clima organizacional.

Identificar esses desperdícios é algo que deve partir do topo da empresa. Os líderes geralmente apresentam uma visão ampla de todas as etapas de produção. Nesse contexto, podemos dizer que um líder gerencia diferentes atividades, projetos e funções e, ao aplicar a metodologia, torna-se uma obrigação otimizar os processos e influenciar a melhoria contínua em toda a equipe.

4. Como esse conceito tem sido implementado nas lideranças?

Liderança é apontada como um talento ou capacidade de gestão frente a outras pessoas ou conduzindo uma equipe. Porém, ser líder não é apenas ser chefe ou dar ordens.

É possível aprender sobre liderança por meio da vivência corporativa e profissional. Liderar é também compartilhar conhecimentos e formar novos líderes. Assim, ser um bom líder é enxergar além do ponto de vista e do senso comum da equipe. É essencial ir além, tanto das regras estabelecidas quanto do retorno esperado do time.

Lean Leadership é o conjunto de ferramentas e conceitos do pensamento enxuto utilizado na liderança para otimizar a produção de uma empresa. Nesse modelo, o processo de aprendizagem deve ser acessível a todos os envolvidos. Juntamente às ferramentas estratégicas, permite que cada pessoa envolvida no processo crie uma liderança unificada e compartilhada na empresa.

Ao começar a implementar o Lean nas lideranças, é preciso ficar claro que, antes de transformar os processos, é preciso transformas pessoas. O ser humano tende a ser resistente a mudanças, impor novos comportamentos não funciona. Antes de tudo é preciso mudar a experiência das pessoas para assim mudar a forma como pensam.

O líder deve orientar cada um de acordo com a sua realidade. Mas, antes de tudo, é preciso ser Lean consigo mesmo, em seu próprio comportamento. Para a empresa ser enxuta e a equipe comprar a filosofia, o líder dever ser Lean na sua própria vida.

5. Quais os principais pilares?

O primeiro pilar do Lean Leadership é o autoconhecimento. Quando se lidera uma equipe, é importante ser capaz de levá-la até onde seus valores e crenças permitem. No modelo Lean, espera-se que o líder veja possibilidades de crescimento nele mesmo e nos colegas de equipe.

O segundo é o coaching, ou seja, desenvolver pessoas. É o processo de aperfeiçoar as próprias habilidades, enquanto auxilia os colegas a fazerem o mesmo. Porém, as pessoas precisam entender que a carreira é delas e não do líder. O desenvolvimento deve ser feito por cada indivíduo, de acordo com suas escolhas e habilidades. A pessoa precisa ser guiada até a excelência e incentivada a trabalhar seus pontos fortes e fracos. Então, quando se tornar líder, fará o mesmo com todos ao seu redor, assim como foi feito no início.

O terceiro pilar é a busca pela melhoria contínua. É preciso estabelecer ciclos, pois a tendência é voltar ao padrão anterior caso não haja um real compromisso de crescimento.

O quarto e último são as metas. O caminho do objetivo precisa ter um norte, um direcionamento. É essencial saber aonde e quando a empresa quer chegar, mapeando a jornada por meio de indicadores.

6. O que esse tipo de líder deve fazer?

A gestão de mudanças organizacionais não é uma tarefa fácil. Chegar a um ambiente novo e impor regras definitivamente não é o ideal a ser feito, dentro do contexto Lean. Inicialmente é essencial entender as pessoas. Estude quem são elas, entenda a cultura da empresa, o que pensam, como agem, ou seja, compreenda onde estão inseridas.

Após mergulhar no universo das pessoas da organização, ofereça um novo ponto de vista a elas. Agregue aos poucos as novidades, sem substituir tudo de imediato. Conduza a equipe até o modelo se tornar a regra.

Com as novas práticas totalmente dominadas, ofereça espaço para as pessoas serem livres e criativas. A equipe estará tão imersa nas novas práticas, que qualquer passo que cada indivíduo der expressará a sua essência. Por mais que o modelo Lean seja uma jornada individual, na qual cada um é responsável por seu aprendizado e desenvolvimento, sempre há um mestre e um aprendiz. Um líder Lean conduz as pessoas aos recursos, às ferramentas, e conduz, principalmente, ao talento que cada um possui.

7. Quais os melhores métodos e ferramentas?

No mercado, encontramos diversas ferramentas que são utilizadas com sucesso no desenvolvimento da metodologia Lean. A combinação de métodos e ferramentas corretas elimina gargalos, erros e melhora o fluxo de trabalho.

O Just in Time (JIT) é um método de produção que determina não comprar, produzir ou transportar nada antes da hora exata para ser feita. Defende que todas as etapas devem ser alinhadas. Pode ser aplicado em qualquer ambiente organizacional e tem uma grande importância para reduzir estoques e custos.

O Kanban é uma ferramenta utilizada para programar compras, estoques e produção, de forma precisa. Utilizam-se cartões para controlar o fluxo de material, o que reduz estoque, melhora os fluxos e processos da produção, além de reduzir perdas e erros.

Outra ferramenta bastante utilizada é a Manutenção Produtiva Total (MPT). Ela traz a manutenção como parte essencial da empresa. O tempo de parada é incluído na programação e, muitas vezes, são as mesmas pessoas que operam as máquinas que as realizam. Isso deixa os colaboradores familiarizados com seu equipamento, reduzindo o tempo de trabalho e os custos.

8. Como fazer uma análise dos resultados?

No modelo Lean, os princípios da liderança são traçados por meio da análise de padrões, processos e objetivos da empresa. As principais métricas de avaliação dos resultados são produtividade, serviço, qualidade e retorno sobre investimento.

Assim, é possível avaliar a discrepância dos dados dos resultados obtidos e dos esperados. Delegam-se as responsabilidades para que os problemas sejam resolvidos, e as atitudes necessárias são tomadas para a revisão dos processos.

As estratégias são desenvolvidas a partir de critérios competitivos que possibilitam uma análise ampla, como os custos, qualidade, entrega e flexibilidade. O controle da produção entra na última etapa do processo, baseada nos dados coletados e analisados. O objetivo é dar continuidade na produção, além de identificar e tomar as medidas corretivas adequadas.

Como você viu, o Lean Leadership tem adeptos no mundo inteiro e pode ser aplicado em negócios de todos os níveis de maturidade e porte. A eficácia do método é comprovada sempre que os benefícios aparecem. Afinal, uma liderança que aplica formas mais otimizadas para gerenciar as equipes, certamente, trará benefícios para todos os setores do negócio.

Gostou do nosso conteúdo sobre Lean Leadership? Agora que você já sabe tudo sobre essa filosofia, que tal compartilhar em suas redes sociais? Seus contatos podem gostar de receber essas informações!

Powered by Rock Convert

Inscreve-se para receber nossas novidades!

Receba conteúdos exclusivos gratuitamente no seu e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.